O Rosário encerra um precioso tesouro espiritual

O Rosário é-nos tão instantemente recomendado, porque o tesouro imenso das indulgências e benefícios espirituais de que ele está enriquecido é-nos proporcionado como meio facílimo de satisfazermos a justiça divina.


Indulgências

As indulgências são a remissão e o perdão que a Igreja concede das penas devidas aos pecados já absolvidos quanto à culpa e à pena eterna. Note-se que o pecado nos torna réus de culpa e de pena. Se a culpa é mortal traz consigo a revolta contra Deus e por isso a perda da amizade com Ele e morte eterna; por isso exige uma pena eterna: o inferno. Desta culpa e desta pena absolve-nos a misericórdia divina nos Sacramentos, principalmente no da penitência ou confissão, como já mostrámos na mensagem de Fátima. Mas o pecado não é só essa revolta contra Deus; é também uma desordem nas nossas relações com as criaturas, um apego desordenado a elas com afronta para Deus, único bem supremo do homem; por isso, além da pena eterna, é-lhe devida uma pena temporal em que se purifique a alma dos efeitos desse apego desordenado. Esta pena pode satisfazer-se através da contrição perfeita e da caridade intensa, ou, então, pela expiação voluntária, infligida espontaneamente a si mesmo cá na terra, ou forçada no Purgatório. A necessidade desta expiação, explica Leão XIII nestes termos: “Cada um tem que mortificar-se por uma penitência proporcionada às suas faltas; é uma exigência das leis da Justiça divina que reclama uma expiação rigorosa dos pecados cometidos. Ora não valerá mais cumprir esta expiação pela penitência voluntária enquanto vivemos cá na terra”? É preciso, porém, reconhecer que a nossa contrição e amor de Deus não são de ordinário tamanhos que não deixem ainda uma parte da pena por satisfazer.

Temos, pois, à escolha: expiar no Purgatório à força ou cá na terra voluntariamente. Mais, a satisfação pode cumprir-se cá na terra de dois modos: ou por mortificações infligidas a nós mesmos ou pelas indulgências que nos concede a Igreja. Para suprir à insuficiência das penitências ou penas que hoje recebemos na confissão, para de algum modo lhes dar equivalência às grandes penitências expiatórias a que se entregavam os fervorosos primeiros cristãos, a Igreja abre-nos, misericordiosamente, os tesouros inexauríveis dos méritos de Cristo, de Maria Santíssima e dos Santos do Céu e da terra, que assim satisfazem por nós a justiça divina. O melhor meio de beneficiarmos dessa satisfação é o Rosário com o seu riquíssimo tesouro de indulgências plenárias e parciais.

Com as plenárias aplica-nos a Igreja tanto do tesouro comum quanto é necessário para satisfazer totalmente a dívida dos pecados precedentes. Com as parciais, aplica-nos ela uma parte determinada com que satisfazemos em parte as nossas dívidas. As indulgências concedidas pelos Papas aos associados da Confraria do Santíssimo Rosário são inúmeras e facílimas de lucrar; para isso é apenas necessário rezar um Rosário inteiro na semana e ter a intenção de ganhar as indulgências.

Quantos fiéis há que rezam até o Terço cada dia e não lucram senão um pequeno número das indulgências do Rosário por não estarem inscritos na Confraria!


Outros benefícios espirituais

Participação especial, na vida, na hora da morte e depois da morte nas orações e boas obras de todos os membros da Confraria, espalhados pelo mundo; não só das orações e boas obras impostas pela Confraria, mas de todas as que eles praticarem seja a que título for.

É um privilégio especial da Confraria do SS.º Rosário: os méritos de todas as orações e boas obras de todos os confrades são postas em comum, constituindo o capital espiritual de que beneficia cada uma. Portanto, cada confrade de Nossa Senhora do Rosário tem o seu quinhão em todos os méritos e satisfações dos outros da Confraria. Ora esses membros estão espalhados pelo mundo inteiro. São milhões e milhões. Legiões imensas deles povoam também já a Igreja triunfante e a Igreja paciente do Purgatório. Todos estão em comunhão de bens espirituais, todos são solidários uns com os outros. Que maior riqueza se podia desejar?

Participam em todos os bens espirituais da Ordem de S. Domingos. Todo o fiel que pertence à Confraria do Rosário beneficia do privilégio de participação em todos os méritos e boas obras desta grande Ordem: mortificações pelos três votos de pobreza, obediência e castidade, celebração coral quotidiana do ofício divino, missas, comunhões, trabalhos apostólicos dos seus religiosos, grande tesouro espiritual enriquecido através dos séculos por tantos e tão grandes santos e sábios, mártires, confessores, virgens sem número.

A protecção especial de Maria

O Beato Alano de la Roche transmitiu-nos quinze promessas de Nossa Senhora aos devotos do Seu Rosário:

1- Os devotos do meu Rosário receberão alguma graça espiritual.

2- Terão a minha protecção especialíssima e grandes graças.

3- O Rosário será uma arma poderosíssima contra o inferno, destruirá os vícios, dissipará o pecado e abaterá as heresias.

4- Fará reflorescer a virtude, fará conseguir às almas as mais copiosas misericórdias de Deus, levará os corações do amor vão do mundo ao amor de Deus e elevá-los-á ao desejo das coisas eternas. Oh! Quantas almas se santificarão com este meio.

5- A alma que se recomenda a Mim pelo Rosário não se perderá.

6- Os que o recitarem meditando os mistérios não andarão oprimidos pelas desgraças, não serão castigados pela justiça de Deus, não morrerão de morte imprevista, mas converter-se-ão se forem pecadores e conservar-se-ão se forem pecadores e conservar-se-ão em graça se forem justos, e serão tornados dignos da vida eterna.

7- Não morrerão sem sacramentos.

8- Terão na vida e na morte as luzes e todas as graças necessárias e serão admitidos
a participar dos mistérios dos Bem-aventurados do Paraíso.

9- Cada dia liberto do Purgatório devotos do meu Rosário.

10- Os verdadeiros filhos do meu Rosário gozarão uma grande glória no Céu.

11- Hei-de obter tudo o que eu pedir pelo Rosário.

12- Aqueles que propagarem o meu Rosário serão por Mim socorridos em todas as suas necessidades.

13- Terão por irmãos toda a Corte celeste na vida e na morte.

14- Serão Meus filhos e irmãos de Jesus, meu Filho único.

15- A devoção ao meu Rosário é um grande sinal de predestinação.


Conclusão

Se a meditação dos mistérios é indispensável para tirarmos do Rosário os frutos espirituais: indulgências e progressos na vida interior, qual o meio mais prático de evitar a divagação da mente? Muitos conseguem prender a atenção aos mistérios excitando os afectos para com Cristo e Maria ao anunciar os seus mistérios no princípio da dezena como falando com essas próprias pessoas presentes. Óptimo processo! A oração não é um falar com ausentes nem com simulacros imaginários; as nossas preces, aquecidas pelos afectos, mal nos saem do coração já entraram no coração de Deus.

Muitos há, porém, que dificilmente concentram a atenção nos mistérios; para esses existe um método com resultados excelentes e infalíveis para reter a atenção e viver o Evangelho: é o método antigo mas hoje esquecido, do Rosário Meditado: entre cada “Ave-Maria” lê-se um curto pensamento do Evangelho que desenvolve o mistério anunciado.

Category:
Portuguese