O Rosário na Mensagem de Lourdes e Fátima

Estamos a celebrar os 150 anos das aparições de Nossa Senhora em Lourdes a Bernadette. A primeira deu-se a 11 de Fevereiro de 1858 e a última a 16 de Julho do mesmo ano. Estas aparições assim como as de Fátima, em 1917, aos três pastorinhos Lúcia, Francisco e Jacinta, marcaram a história de toda a Igreja e até de grande parte da humanidade. A confirmá-lo, basta lembrar que são vários milhões de peregrinos que, cada ano, se deslocam aos santuários de Lourdes e de Fátima, vindos de todas as partes do mundo.

A oração do Rosário é um elo de ligação entre dois Santuários Marianos. Nossa Senhora recomendou esta oração às quatro crianças: Bernadette, Lúcia, Jacinta e Francisco. Todos os olhares se fixam na gruta de Massabielle e na pequenina Capelinha da Cova da Iria. É a mesma Virgem presente nos dois Santuários. Todos os anos, milhares de peregrinos acorrem a estes dois locais sagrados, para pedirem a protecção da Mãe de Deus. Há uma ligação profunda entre os dois Santuários – “a mais bela e completa lição da eficácia do Rosário”. Quer em Lourdes, quer em Fátima o Rosário pendia-Lhe das mãos.

Com que especial intenção apareceu a Virgem Maria, em Lourdes e em Fátima? Foi para exortar à penitência. Em Lourdes, por três vezes pediu: “ penitência, penitência, penitência, pelos pecadores”! Em Fátima pediu aos pastorinhos que fizessem penitência e que oferecessem sacrifícios pelos pecadores. Não recomendou qualquer outra prática extraordinária, a não ser “a devoção muito simples e tradicional na família, da recitação do Santo Rosário”.

Em Fátima, Nossa Senhora, com o Rosário, que lhe pendia das mãos, rezou com os pastorinhos e recomendou que “rezassem o terço (Rosário) para a guerra acabar”. Quando Lúcia lhe perguntou: “Quem é vossemecê? Nossa Senhora respondeu, (a 13 de Outubro de 1917) elevando os olhos ao Céu: “Eu sou a Senhora do Rosário”. Em Lourdes ergue-se a Basílica do Rosário a testar esse nome; e, quando Bernadette lhe perguntou quem era, a Virgem Maria, fazendo o mesmo gesto disse: “Eu sou a Imaculada Conceição”. A mesma Senhora que se revela como sendo a “Imaculada Conceição” e a “Senhora do Rosário”, a proclamar a Sua grande dignidade de ser Mãe de Deus, sem deixar de ser Imaculada.

Nos dois Santuários podemos observar a universalidade desta oração – o Rosário rezado em várias línguas, louvando Maria e pedindo a Sua intercessão. Fátima e Lourdes, com imensos peregrinos, numerosos milagres, ocultos aos nossos olhos, mas que se manifestam interiormente, na alma de tantos peregrinos. Conversões que se realizam só entre Deus e as almas. Grandes manifestações de fé e de devoção para com a Virgem Maria, são o ponto de atracção espiritual para crentes e mesmo incrédulos que afirmam respirar, naqueles locais santificados pela presença de Maria, profunda paz.

Tudo isto, não é mais do que a glorificação do Rosário, como monumento erguido pela humanidade, a pedido d’Aquela que afirmou ser a “Imaculada Conceição” e a “Senhora do Rosário”.

Como outrora Maria pediu a S. Domingos: “Vai e prega o Meu Rosário”, hoje, Ela continua a pedir-nos o mesmo, sendo testemunhas desta devoção tão recomendada por Nossa Senhora, em Lourdes e em Fátima e também recomendada pelo Magistério da Igreja.

Category:
Portuguese